Potengi, verás que um filho teu não foge a luta!!!

Eu sou brasileiro, filho do Nordeste, Sou cabra da Peste, sou do Ceará




Atitude Revolucionaria Socialista-ARS
Home » » Partidos lançam, na Câmara, manifesto em defesa da democracia, da soberania nacional e dos direitos

Partidos lançam, na Câmara, manifesto em defesa da democracia, da soberania nacional e dos direitos

Written By Edson Veriato on quinta-feira, 19 de abril de 2018 | 23:41

Partidos lançam, na Câmara, manifesto em defesa da democracia, da soberania nacional e dos direitos
O presidente nacional do PSOL, Juliano Medeiros, e deputados do partido na Câmara participaram, no final da manhã desta quarta-feira (18), do lançamento do “Manifesto pela democracia, soberania nacional e direitos do povo brasileiro“. Além deles, também estiveram presentes presidentes e líderes do PT, PCdoB, PDT, PCB e PSB, que também assinam o documento.
“O Brasil vive dias sombrios. A retirada de direitos, promovida de maneira acelerada pelo governo de Michel Temer e sua base parlamentar, é parte de um preocupante surto autoritário. A violência, o ódio e a intolerância disseminados nas redes sociais, incitados por estratégias de comunicação da mídia tradicional, se arrogam a pretensão de pautar a agenda política nacional, tratando o Estado Democrático de Direito como se fosse apenas um empecilho anacrônico em seu caminho”, destaca o trecho de abertura do manifesto, resultado de amplo debate entre os partidos, que vêm se articulando numa frente para barrar o avanço da extrema-direita.
A execução da vereadora do PSOL no Rio de Janeiro, Marielle Franco, e do motorista Anderson Gomes, na noite do dia 14 de março, também é apontado no documento como um sinal da expansão do ódio contra a esquerda e os movimentos sociais, que lutam por direitos e contra as opressões. “O assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, foi o episódio mais dramático dessa espiral de violência, embora não tenha sido o único. O atentado contra a caravana do ex-presidente Lula, no Paraná, por seu evidente caráter miliciano; e sua posterior prisão, para a qual contribuíram diferentes operadores de direito que priorizaram clamores orquestrados por parte da opinião publicada, relativizando direitos constitucionais que lhe assistem, são fatos gravíssimos”.
Durante o ato de lançamento, as lideranças partidárias destacaram a importância da união de forças do conjunto da esquerda para enfrentar esse cenário de retrocessos. Na avaliação dos partidos, o esforço deve garantir, também, a participação das organizações sociais que atuam nas diversas pautas diariamente atacadas.
“Torna-se urgente um maior diálogo entre todos os setores sociais comprometidos com a liberdade, a democracia e os direitos sociais. É hora de reunir partidos, entidades da sociedade civil, movimentos sociais, professores, cientistas, operadores do direito, artistas, líderes religiosos, dentre outros, para articular a resistência democrática aos atentados contra a democracia e o estado de direito.”
Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL. Foto: PSOL na Câmara
De acordo com o manifesto, a articulação desses atores deve se basear em três eixos fundamentais: “O primeiro é a defesa intransigente das liberdades democráticas, dos direitos políticos e de eleições livres. Os rumores sobre a possibilidade de cancelamento do calendário eleitoral devem ter como resposta a defesa enérgica de eleições democráticas e livres. O segundo refere-se ao enfrentamento intransigente da violência disseminada pela extrema-direita. A democracia não pode conviver com milícias armadas, ameaças de morte, atentados ou assassinatos. É hora de dar um basta à violência, atuando em todas as instâncias possíveis, para alcançar e punir os responsáveis por disseminar e incitar o ódio e a intolerância, bem como os responsáveis pelos crimes contra lideranças políticas, que chocaram o país. O terceiro eixo desta unidade está na defesa dos direitos sociais, da soberania e do patrimônio nacional. Como já indicamos, a violência disseminada pela extrema-direita e os ataques à democracia compõem um programa político de setores retrógrados das elites econômicas, para as quais a civilização se limita a suas próprias conquistas materiais”.
O PSOL, que lançou a sua pré-candidatura à Presidência da República, com Guilherme Boulos e Sônia Guajajara, ressalta que a frente antifascista não passa por uma aliança visando às eleições de outubro próximo. “Essa frente, que não tem finalidades eleitorais, buscará estimular um amplo debate nacional contra o avanço do ódio, da intolerância e da violência. Só assim poderemos reconstruir um Brasil soberano e de respeito absoluto ao estado de direito”.
Juliano Medeiros, ao apresentar a posição do PSOL, avaliou que a democracia no Brasil está severamente ameaçada, com uma escalada autoritária em curso, com o aumento dos ataques da extrema-direita e ações discricionárias do Judiciário em seus julgamentos seletivos. Medeiros citou o assassinato de Marielle Franco como uma expressão desse cenário, mas lembrou que lideranças sociais e políticas seguem sendo assassinadas no último período.
“A escalada autoritária no país é uma realidade. Não por outra razão, um deputado conservador, que estimula mentiras e o ódio contra a esquerda, está entre os mais cotados nas pesquisas para a Presidência da República”, disse o presidente do PSOL, reafirmando a importância da unidade do conjunto da esquerda. “Consideramos que é hora, preservando as nossas diferenças, de colocar em primeiro plano a defesa da democracia. Ontem foi o ex-presidente Lula, que foi preso, mas amanhã pode ser alguém do PSOL, do PDT, do PSB, do PCdoB ou do PCB. É por isso que vamos buscar alargar essa frente, com a participação das várias entidades e organizações, das frentes Povo Sem Medo e Brasil Popular, além dos partidos que aqui estão. Vamos construir uma corrente de pensamento em defesa da democracia e das liberdades políticas. Não há espaço para voltar 30 anos no tempo. Não vamos aceitar que a nossa já frágil democracia seja ameaçada e vilipendiada por fascistas e conservadores da extrema-direita”.
Share this post :

Postar um comentário

 
Creating Website | Johny Template | Mas Template
Direitos reservados © 2011. Edson Veriato - Potengi, verás que um filho teu não foge a luta
Template Created by Creating Website Published by Mas Template
Eu sou brasileiro, filho do Nordeste, Sou cabra da Peste, sou do Ceará